segunda-feira, 13 de junho de 2011

Sem perder o Norte

Genericamente falando, a Região Norte não possui o mesmo tipo de apoios e benefícios que desaguam na capital do país. Ainda assim, a grande maioria dos leitores será capaz de reconhecer o Norte enquanto uma região de gente que faz muito com poucos recursos.

Acredito que isto não acontece por acaso. De facto, seja no domínio empresarial ou na vertente desportiva, considero que é na escassez de recursos que se aprende a gerir de forma mais eficaz, racionalizando e maximizando estes.

A capacidade que esta região tem demonstrado nas diversas vertentes tem vindo a reflectir-se igualmente no panorama futebolístico nacional. Basta atentarmos no número (sete) de equipas nortenhas que para o ano disputarão a principal liga de futebol nacional para percebermos a mudança de paradigma que ao longo dos anos se tem vindo a acentuar.

Se a isto acrescermos as finais 100% nortenhas que presenciamos a época transacta, torna-se visível esta nova realidade.

Com esta constatação não se diminui a importância dos dois grandes clubes da capital do país. A grandeza e qualidade destes são indiscutíveis, bem-vindas e inevitáveis.

No entanto, os factos não desmentem - as segundas e terceiras linhas do futebol português estão cada vez mais voltadas para Norte.

3 comentários:

  1. Troca de links?

    Responda no meu blog

    http//abancadanascente.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Só podes estar a brincar ou então os dados foram-te fornecidos por algum 'bimbo' depois de 3 ou 4 litros daquele verde tinto que até dá para matar baratas só com o bafo!

    ResponderEliminar
  3. Futebolstorming14 junho, 2011 19:12

    Caro Carlos Alberto,

    FCP, Braga, Guimarães, Paços Ferreira, Rio Ave, Gil Vicente e Feirense.

    Com 3, 4 ou 5 litros, isto para mim serão sempre sete equipas.

    Cumps.

    ResponderEliminar